A magia dos jogos de corrida Escrito por @rurounikz em

Não sou um viciado em velocidade. Longe disso. Os games de corrida que mais me marcaram – e os que mais joguei – foram Gran Turismo (confesso que uma cópia pirata lá em meados de 1998), Diddy Kong Racing (*COF* Drumstick melhor corredor *COF*) e Need for Speed Underground.

Mesmo não sendo meu gênero preferido, sempre achei que alguns jogos de corrida tinham um efeito hipnótico que beirava o misticismo. Enduro, lançado pela Activison para o Atari 2600 em 1983, foi meu primeiro contato com simulações de corrida e a simplicidade pixelada dos automóveis instigou minha imaginação para abstrair o que estava vendo e substituir por uma imagem perto da capa do jogo. Como pode ser visto abaixo, isso não era uma tarefa trivial.

enduro_hes_cart_2

Nesse momento senti como se minha mente tivesse expandido quando tive uma legítima experiência de abstração e imersão nos games. O tempo passou e a paixão por velocidade foi algo que nunca despertou em mim desde quando me tornei adolescente até chegar em minha vida adulta. E mesmo assim, sempre que vejo uma máquina de Daytona USA (uma visão cada vez mais rara atualmente), sou imediatamente transportado para os rachas virtuais que tirava com amigos nos fliperamas de Santos. Spoiler: raramente venci essas disputas.

Outro feito que me arremessa ao passado ocorre quando ouço a trilha da primeira fase de Top Gear (destaque para o remix abaixo, de autoria da banda brasileira MegaDriver). Assim que a melodia começa, lembro instantaneamente do momento de surpresa quando descobri que meus primos mais novos tinham esse cartucho de Super Nintendo e das horas de jogatina que ocorreram em seguida, já que até então nunca tive a oportunidade de experimentar esse título no meu console.

https://www.youtube.com/watch?v=T8Cct0WcJm0

Desenvolvido pelo estúdio brasileiro Aquiris Game Studio e lançado para Android e iOS em 2015, Horizon Chase é um jogo de corrida que oferece um desafio instigante e resgata as memórias que tive com outros representantes do gênero.

Vale o aviso que passei por alguns pequenos infortúnios com esse game, como perder o ponto do ônibus e esquecer de descer na estação de metrô correta. Tudo isso para tentar terminar todas as corridas em 1º lugar, mesmo que corrida não seja meu gênero preferido. Embalado por uma trilha sonora viciante composta por Barry Leitch, mesmo músico responsável pela trilha de Top Gear, esse jogo independente conseguiu grande destaque na mídia especializada, incluindo vencedor da categoria de “Melhor jogo mobile” em 2015 pela IGN BrasilNão a toa, a Aquiris marcou presença na Brasil Game Show em 2015 no estande da Sony para demonstrar uma versão atualizada do simulador que chegará para o PS4 esse ano.

A ambientação e imersão proporcionada pelo trabalho de Leitch remete aos seus trabalhos passados, mas vai além e oferece novos arranjos. Ainda sobre produção sonora, vale mencionar que a Aquiris em parceria com a Game Audio Academy organizaram uma competição para incentivar a criação de áudio para games e os três remixes vencedores entraram na trilha sonora oficial do jogo.

https://www.youtube.com/watch?v=HQDVSRmhiP0

Além me deixar viciado pelas composições do músico com mais de 20 anos criando áudio de primeiríssima qualidade para jogos, Horizon Chase me encheu os olhos ao ver cenários de cidades brasileiras como Brasília, Niterói e Salvador. Ainda sobre os cenários, um easter-eggs inusitado foi vislumbrar o santuário dos Cavaleiros do Zodíaco em um percurso no campeonato da Grécia.

Por falar em easter-egg, outro fato kawaii desu adorável é que há um segredo amoroso na primeira fase do game. Juntamente dos desenvolvedores brasileiros, Leitch escondeu um pedido de casamento para sua namorada no percurso inicial do jogo (pista em São Franscisco) e para liberar esse segredo, basta desenhar um coração na tela. Ao fazer isso, a animação abaixo é exibida.

https://www.youtube.com/watch?v=YSpMxcV49j8

Seja pela “imortalização” do pedido de matrimônio do artista à sua namorada ou por todo o mérito criativo que Horizon Chase merece (sem exageros, ele se tornou um dos meus games preferidos de corrida), esse game resgata toda a magia dos títulos de velocidade. Misticismo esse que somente “The Hoff“, também conhecido por David Hasselhoff, consegue traduzir com seu brilhante olhar anil na imagem de destaque desse artigo.

Gostou do texto? Ajude a espalhar o nosso amor por videogames!

Eduardo Emmerich

Engenheiro (elétrico) em formação. Narrative Designer. Editor assistente da Ivalice. Never give up. Trust your instincts! #HYPE

Leia todas as postagens do Eduardo.